ADVOCACIA EMPRESARIAL E PESSOAL - Desde 1992 * 25 anos de experiência e tradição
Atuamos nas áreas Cível; Trabalhista e Direito do Consumidor
Quer integrar a nossa equipe? Clique na aba Trabalhe Conosco
Deseja uma consulta a distância? Clique em Atendimento virtual
Síndico : Cobre de volta os últimos 10 anos de tudo que pagou a mais à CEDAE
Sexta-feira
20 de Outubro de 2017 - 

Controle de Processos

insira o seu nome de usuário e sua senha cadastrados. Caso ainda não tenha cadastro, entre em contato conosco

Notícias

Justiça decreta prisão preventiva de quatro milicianos em Duque de Caxias

O juízo da 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, determinou a prisão preventiva de Guilherme de Souza Barbosa, Jonatan Pinto Apolinário (vulgo “Cocão”), Gleyson Lucas da Cunha Ferreira e Mauricio Freitas dos Santos Junior, acusados de matarem a tiros Victo Soares da Silva e Douglas Silva de Mesquita, além de ferir Luiz Claudio dos Santos Araújo, em março deste ano. De acordo com a denúncia ajuizada pelo Ministério Público, os quatro réus integram uma milícia que atua no município. Duas vítimas – Victo e Douglas – estariam envolvidas com traficantes da região. “A segregação cautelar dos acusados é a única medida capaz de assegurar a colheita dos depoimentos das testemunhas arroladas pela acusação e, por igual receito, imprescindível para a formação da convicção do Estado-Juiz, ao menos, nesta primeira fase procedimental, para a prolação de eventual sentença de pronúncia”, destaca a decisão. Processo nº: 0055397-83.2017.8.19.0021 JM/FB O juízo da 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, determinou a prisão preventiva de Guilherme de Souza Barbosa, Jonatan Pinto Apolinário (vulgo “Cocão”), Gleyson Lucas da Cunha Ferreira e Mauricio Freitas dos Santos Junior, acusados de matarem a tiros Victo Soares da Silva e Douglas Silva de Mesquita, além de ferir Luiz Claudio dos Santos Araújo, em março deste ano.De acordo com a denúncia ajuizada pelo Ministério Público, os quatro réus integram uma milícia que atua no município. Duas vítimas – Victo e Douglas – estariam envolvidas com traficantes da região.“A segregação cautelar dos acusados é a única medida capaz de assegurar a colheita dos depoimentos das testemunhas arroladas pela acusação e, por igual receito, imprescindível para a formação da convicção do Estado-Juiz, ao menos, nesta primeira fase procedimental, para a prolação de eventual sentença de pronúncia”, destaca a decisão.Processo nº: 0055397-83.2017.8.19.0021JM/FB
11/10/2017 (00:00)
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.